O ministro do Emprego, Mota Soares, anunciou esta segunda-feira que cerca de 20 mil desempregados de longa duração serão beneficiados nos primeiros quatro meses de 2015, com vista à sua «integração profissional» e ao «rápido regresso ao mercado de trabalho».

Garantia Jovem: mais de 185 mil jovens abrangidos até outubro

«Com a adequação a esta realidade específica, contamos que no 1.º quadrimestre do ano de 2015 possam ser beneficiados cerca de 20 mil desempregados de longa duração, com o propósito de estimular a integração profissional e o seu rápido regresso ao mercado de trabalho», afirmou o ministro da tutela, no parlamento, citado pela Lusa.

Mota Soares, que está esta tarde a ser ouvido na Comissão parlamentar do Orçamento, Finanças e Administração Pública, no âmbito da discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2015 (OE2015), revelou que «foram transmitidas orientações precisas ao Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) para que passasse a utilizar de uma forma seletiva a modalidade de formação 'Vida Ativa'».

O ministro afirmou que «o desemprego de longa duração é o que sente maiores dificuldades, até porque apresenta uma relativa rigidez quanto à oferta de emprego», justificando assim a decisão hoje anunciada perante os deputados.

Numa comparação com 2011, Mota Soares acentuou que «há hoje mais 29 mil colocações no mercado de trabalho pelo IEFP e mais 44 mil ofertas de emprego».

«Estamos, portanto, mais próximos da realidade que o mercado procura e que o mercado precisa. E isso dá esperança a quem procura emprego», disse.