O secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, afirmou esta quinta-feira que as pessoas em Portugal são das mais empreendedoras «quando estão à rasca», elogiando o crescimento das exportações nos últimos anos, escreve a Lusa.

«O empreendedorismo em Portugal tem funcionado de uma forma simples. Quando estamos à rasca somos dos mais empreendedores e voltamo-nos para fora. Quando obtemos um certo nível de riqueza voltamo-nos para dentro e perdemos competitividade», afirmou Pedro Gonçalves, no Barreiro.

O secretário de Estado referiu que, numa altura de crise, o despenho das empresas foi «extraordinário», destacando o aumento do peso das exportações no Produto Interno Bruto nos últimos três anos.

Pedro Gonçalves esteve hoje no Barreiro para participar numa conferência sobre Empreendedorismo, que decorreu no âmbito da semana de homenagem ao industrial Alfredo da Silva, fundador do grupo CUF, que é organizada pela empresa Baía do Tejo.

«É inequívoco que o caminho a seguir hoje é o de Alfredo da Silva. Há milhares de oportunidades, não há falta de ideias ou falta de dinheiro. As pessoas devem é identificar a oportunidade concreta para serem empreendedoras», defendeu.

O secretário de Estado lembrou o lema da antiga CUF - «O que o País não tem, a CUF cria» - e considerou que deve ser visto como um exemplo para os tempos atuais.

O presidente da Business Angels Club, Francisco Banha, defendeu, por sua vez, que Portugal é um dos países das União Europeia em que existem melhores condições para quem quer ser empreendedor.

«Existem 85 municípios e mais de 400 escolas a desenvolver projetos de empreendedorismo. Portugal tem muito dinheiro para investir nos bons empreendedores, é preciso é que saibam desenvolver e apresentar o seu projeto», salientou.