A Renault vai chamar 15 mil veículos às oficinas da marca para verificar os motores a gasóleo e ajustá-los para que cumpram os níveis de emissões, anunciou a ministra da Ecologia francesa em entrevista à rádio francesa RTL.


Ségolène Royal sublinhou que o fabricante francês não é o único a exceder o nível permitido das emissões, mas não fez referência a qualquer outra marca.


"A Renault comprometeu-se a chamar à revisão um certo número de veículos, mais de 15 mil, para verificar e ajustar para que o sistema de filtração funcione mesmo quando a temperatura está muito quente ou quando está abaixo dos 17 graus".


A ministra salientou que é preciso fazer mais testes e que estes devem basear-se na condução real.

O fabricante prometeu na segunda-feira apresentar um "plano técnico" nas próximas semanas para cortar as emissões poluentes dos veículos.

Recorde-se que na semana passada a Renault foi objeto de buscas pelas autoridades francesas antifraude. A marca assegurou na altura que nenhum 'software' foi detetado nos seus motores a gasóleo, conforme aconteceu com o escândalo na Volkswagen. 

Apesar da ministra ter anunciado nesse mesmo dia que os testes feitos aos carros da Renault não revelaram presença de emissões fraudulentas “escondidas” em software, admitu no entanto que foi detetada a presença de CO2 e NOx acima dos limites permitidos por lei em carros de outros fabricantes.