Primeiro foi o escândalo da Volkswagen, esta semana foi a vez de a Mitsubishi admitir que manipulou os testes das emissões poluentes nos seus veículos a diesel. E agora surge o aviso dos fabricantes alemães Porsche, Volkswagen, Opel, Audi e Mercedes que anunciaram a chamada à revisão de 630.000 veículos destas marcas precisamente para corrigir o software que gere as ditas emissões poluentes.

A informação foi avançada por fonte oficial do Governo, que é citada pela agência Reuters, e faz soar os alarmes quanto a várias marcas que não estão, pelo menos ainda, implicadas no mesmo escândalo. 

As autoridades alemãs têm levado a cabo uma investigação profunda sobre os altos níveis de emissões poluentes nos veículos a diesel e seus riscos para a saúde. Daí que o governo alemão tenha ordenado testes a uma gama mais ampla de veículos.

Este recall tem como objetivo garantir um controlo mais apertado aos níveis de poluição e evitar que outros fabricantes entrem por caminho sinuosos de fraudes como aquelas que temos vindo a conhecer. 

O primeiro escândalo surgiu com a alemã Volkswagen, que tem conhecido novos desenvolvimentos: esta semana foi anunciado que a empresa vai pagar 4.400€ a cada cliente lesado nos EUA. Na Europa, é que não há indemnizações previstas para ninguém.

A última fraude, da Mitsubishi Motors, conhecida esta semana, também terá como afetado o seu automóvel elétrico iMiEV e  ainda outros quatro modelos, segundo o jornal Sankei, para além daqueles que já se sabia.

As ações da fabricante nipónica afundaram pelo terceiro dia consecutivo, durante as negociações da manhã na bolsa de Tóquio, com o pânico continuado dos investidores.