A produção total da EDP cresceu 16% no primeiro semestre deste ano, face a igual período do ano passado, suportada pelo reforço da capacidade instalada e recursos eólicos e hídricos na Península Ibérica, anunciou a elétrica esta terça-feira.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a EDP divulgou hoje os seus dados operacionais previsionais relativos ao primeiro semestre deste ano, onde refere que a capacidade instalada ascendeu a 22,7 Gigawatts (GW) no final de junho.

«A produção hídrica e eólica contribuiu para 74% da produção no primeiro semestre», adianta.

A nova capacidade instalada nos últimos 12 meses «traduziu-se em capacidade hídrica em Portugal (+257MW decorrente da conclusão de repotenciação Alqueva II), capacidade eólica (+589MW) e no Brasil (+365MW)».

Nos primeiros seis meses do ano, a energia distribuída pela EDP recuou 3%, «reflexo de uma menor procura, nomeadamente de gás».

Em igual período, a eletricidade distribuída em Portugal caiu 1,3%, «suportado por um consumo estável no segundo trimestre» e em Espanha, na região das Astúrias, recuou 2,4% devido à menor produção por parte de grandes clientes industriais.

«O gás distribuído caiu 10% no primeiro semestre de 2013, apesar da expansão de pontos de ligação: -11% em Portugal, devido à perda de um grande cliente (para a rede MAP) no terceiro trimestre, -10% em Espanha, penalizado pelo menor consumo, nomeadamente decorrente da produção de eletricidade».

A EDP divulga resultados a 25 de julho, após fecho da bolsa.