A produção de eletricidade da EDP aumentou 7% no primeiro trimestre, com um crescimento de 24% nas fontes renováveis, segundo os dados operacionais previsionais da empresa enviados hoje ao mercado.

“A produção de eletricidade aumentou 7% no primeiro trimestre de 2018, face ao primeiro trimestre de 2017, com um crescimento de 24% na produção de fontes renováveis”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com os resultados operacionais, a produção eólica subiu 13%, “em resultado do aumento de capacidade e recursos eólicos mais elevados”.

Por sua vez, a produção hídrica cresceu 42%, em virtude de recursos hídricos “mais elevados na Península Ibérica e no Brasil”, embora, em Portugal, no período de referência, os recursos hídricos tenham ficado “aquém da média histórica”.

Já a produção térmica caiu 22%, face ao primeiro trimestre de 2016, na “sequência de uma menor procura residual térmica”.

“O volume da eletricidade distribuída cresceu em todos os mercados da EDP, com destaque para Portugal, com um aumento de 4,5% no primeiro trimestre de 2018 face ao primeiro trimestre de 2017, impulsionado sobretudo pelo segmento residencial, seguido de Espanha, com um crescimento de 2,1%. No Brasil, a eletricidade distribuída cresceu 0,9%, suportada pelo crescimento do consumo no segmento industrial”, acrescentou a EDP.

Nos últimos 12 meses, a capacidade instalada aumentou 3% para 26.8 gigawatts (GW), dos quais 74% são energias renováveis.