O Banco Central Europeu decidiu reforçar a linha de emergência de liquidez para os bancos da Grécia em 600 milhões de euros, para cerca de 69.400 milhões de euros, avançou esta quinta-feira a agência Bloomberg.

O Conselho de Governadores do BCE reuniu-se esta quinta-feira por telefone para definir o montante para aumentar a linha de emergência (Emergency Liquidity Assistance – ELA -, na sigla em inglês), que já tinha sido reforçada em 500 milhões de euros para 68.800 milhões de euros a 05 de março, de acordo com fontes ligadas ao processo citadas pela agência de informação financeira Bloomberg.

Está previsto que os governadores revejam o montante da linha novamente a 18 de março, a próxima quarta-feira.
Os bancos gregos não absorveram todos os fundos da ELA disponíveis no anterior teto e dispõem ainda de 3.500 milhões de euros, disse uma fonte oficial do Banco da Grécia.

O BCE está a rever os limites da linha semanalmente, refletindo «o receio» de que os bancos utilizem os fundos disponíveis na ELA para financiar o Governo grego, disse esta quinta-feira o presidente do Bundesbank (banco central alemão), Jens Weidmann, à Bloomberg, em Frankfurt, depois da decisão tomada pelos governadores.