A taxa de desemprego no terceiro trimestre deverá voltar a aumentar depois de ter diminuído para 16,4% no segundo trimestre de 2013, segundo as estimativas enviadas à Lusa por dois bancos.

Rui Bernardes Serra, economista chefe do Montepio, e Paula Gonçalves Carvalho, do departamento de Estudos Económicos e Financeiros do BPI apontam para uma subida da taxa de desemprego para 16,7% e 16,9%, respetivamente.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga hoje os dados do desemprego referentes ao terceiro trimestre e a confirmarem-se as estimativas dos dois bancos, o desemprego voltará a subir depois de, entre o primeiro e segundo trimestre de 2013, ter descido de 17,7% para 16,4%, naquela que foi a primeira descida trimestral desde o segundo trimestre de 2011.

«As nossas estimativas apontam para um aumento da taxa de desemprego de 16,4% para 16,7%», sublinha Rui Serra.

«Depois de um período muito marcado por factores de ordem sazonal, alguns indicadores apontam para a possibilidade de aumento da taxa de desemprego no terceiro trimestre», explica Paula Carvalho do BPI.

A economista sublinha mesmo que «o fluxo de novos desempregados inscritos nos Centros de Emprego aumentou significativamente face ao período homólogo» e que «o relatório do mercado de trabalho no terceiro trimestre é tipicamente influenciado pela colocação de professores e pela entrada no mercado de trabalho de estudantes em fim do seu trajecto escolar».

Em contrapartida, prossegue a economista, «a população activa deverá continuar a encolher, quer por motivos de avaliação negativa das condições no mercado de trabalho (desencorajados) quer por factores associados à emigração».

Ou seja, «tudo conjugado, antecipamos um aumento da taxa de desemprego face ao segundo trimestre, para 16,9%», diz Paula Carvalho.

As mais recentes previsões do Governo, incluídas na proposta de Orçamento do Estado para 2014, apontam para que a taxa de desemprego atinja os 17,4% em 2013 e 17,7% no próximo ano.