A Autoridade Bancária Europeia (EBA) decidiu que este ano apenas vai fazer uma prova de esforço aos bancos europeus parecida como a que fez em 2013, com informação pormenorizada dos balanços e carteiras das instituições.

Ao tomar esta decisão, a EBA assume que não submeterá os bancos europeus a testes de stress como os que fez em 2014.

Num comunicado, nota a Lusa, a EBA afirma que a decisão já foi comunicada ao Parlamento Europeu, ao Conselho Europeu e à Comissão Europeia.

A decisão foi adotada tendo em conta os progressos que os bancos fizeram no reforço das suas posições de capital, depois dos exames a que foram submetidos em 2014 pelo Banco Central Europeu (BCE) e pela própria EBA, que fez um exame exaustivo da qualidade dos ativos.

No comunicado, a EBA indica que em 2011 e 2012 as entidades financeiras levaram a cabo distintas estratégias para reforçar o capital, que de modo conjunto aumentou em mais de 200.000 milhões de euros, o que permitiu terminar o exercício de 2014 com um rácio de capital de máxima qualidade (CET1) de 11,5%.

A EBA estima que atualmente o capital CET1 dos maiores bancos europeus já é de 12%, contra 9,2% em dezembro de 2011.