A petição para que Durão Barroso perca a reforma da Comissão Europeia foi entregue esta quarta-feira com mais de 150 mil assinaturas.

O documento foi entregue por um grupo de funcionários da União Europeia que recolheu nos últimos três meses aquela quantidade de assinaturas contra Durão Barroso e a sua nomeação para o banco Goldman Sachs.

Entre outras medidas, os signatários pedem que o ex-presidente da Comissão Europeia perca a pensão de 7 mil euros que está a receber desde abril e a que tem direito por ter exercido esse cargo e que seja feita uma investigação independente sobre a "integridade" do trabalho do português nos 10 anos que esteve em Bruxelas.

Das 151 mil assinaturas, mais de 10 mil são de funcionários da EU que promovem pela primeira vez uma petição. Para além disso, 70 mil são de França, 55 mil da Alemanha e 5 mil foram feitas em Portugal.