Portugal regressa, esta quarta-feira, aos mercados com dois leilões de Obrigações do Tesouro a cinco e 10 anos. Pretende arrecadar um empréstimo de longo prazo entre 1.000 e 1.250 milhões de euros.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) já deu a indicação de que os dois leilões se realizam hoje às 10:30 horas e que as OT têm maturidade em 17 de outubro de 2022 e em 17 de outubro de 2028.

No último leilão de OT a dez anos, que ocorreu em novembro último, Portugal colocou 1.250 milhões de euros a uma taxa média de 1,939%, a mais baixa de sempre e inferior à taxa do anterior leilão comparável (que era de 2,327%).

Já no mais recente leilão a cinco anos, o IGCP emitiu em outubro último 500 milhões de euros em OT, a uma taxa de 0,916%, também a mais baixa de sempre.

Estes dois leilões de dívida serão os primeiros de 2018, depois de em janeiro o IGCP ter colocado 4.000 milhões de euros em OT com maturidade em outubro de 2018, através de uma emissão sindicada.

Segundo o programa de financiamento de 2018, o IGCP estima arrecadar 15.000 milhões de euros através da emissão bruta de OT mensalmente, combinando sindicatos e leilões.

Portugal fechou 2017 com mais 1,6 mil milhões de euros de dívida. A subida poderia ter sido mais significativa, mas os reembolsos antecipados ao FMI fizeram o contrapeso.