O Governo de António Costa manifestou-se contra a decisão do Banco de Portugal de transferir as obrigações seniores do Novo Banco para o “BES mau”.

A notícia é avançada pela agência Bloomberg, que revela que o secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, se mostrou preocupado pela decisão do banco central e revelou essa mesma preocupação num encontro com investidores que teve lugar em Londres na segunda-feira passada.

Apesar da preocupação, o governante terá sublinhado que o Governo não interferiu na decisão do BdP para manter a independência do banco central.

Também esta quarta-feira o Banco Central Europeu demarcou-se da decisão do Banco de Portugal.

Numa nota enviada à Reuters, o BCE sublinha que a decisão “foi tomada exclusivamente pelo Banco de Portugal” sob os seus poderes nacionais de resolução.

“O Banco Central Europeu não exigiu ou aprovou um bail-in das obrigações seniores neste caso”

Foi no dia 29 de dezembro que o Banco de Portugal anunciou que a dívida sénior do Novo Banco, com um valor de balanço de quase dois mil milhões de euros, iria passar para o BES "mau".

Com esta medida - que reverteu a que tinha sido tomada após a resolução do BES, quando o Banco de Portugal decidiu não imputar perdas aos credores seniores passando a dívida não subordinada do BES para o Novo Banco -, o Novo Banco foi recapitalizado em 1.985 milhões de euros, permitindo-lhe assim cumprir as exigências regulamentares. 

A medida do BdP tem gerado muita contestação e algumas ameaças de processos judiciais. Ainda esta terça-feira um grupo de obrigacionistas seniores particulares do Novo Banco, que se sentem lesados com a medida do Banco de Portugal, pediram uma audiência urgente ao governador Carlos Costa.