O administrador financeiro da Sonae Luís Reis manifestou-se hoje "muito satisfeito" com os resultados no retalho, destacando que 2017 foi "um ano recorde em todos os negócios" desta área para o grupo.

As vendas dos negócios de retalho da Sonae subiram 6,9% no ano passado, face a 2016, para 5.554 milhões de euros, com as vendas 'online' a ultrapassarem os 100 milhões de euros, de acordo com as vendas preliminares hoje divulgadas.

Estes resultados "deixam-nos muito satisfeitos", afirmou o administrador financeiro (CCCO – Chief Corporate Center Officer) da Sonae à Lusa, acrescentando que 2017 foi "um ano recorde em todos negócios de retalho" da Sonae.

Destacou o desempenho da Sonae MC no último trimestre do ano, com o Continente a ter um "comportamento extraordinário, com reforço de quota e crescimento de vendas", bem como também o da Worten.

As vendas online "ultrapassaram os 100 milhões de euros" no ano passado em Portugal e no estrangeiro, tornando o grupo "o maior retalhista de base portuguesa", salientou o administrador à Lusa.

"A Sonae tem sido a retalhista que de forma consistente tem apostado neste canal ['online']", acrescentou, referindo que nos negócios onde tem o grupo aposta no comércio eletrónico as vendas têm registado crescimentos.

"É um crescimento feito sobretudo nos locais de comércio eletrónico com marcas que os consumidores confiam", sublinhou.

Relativamente à Worten, cujas vendas ultrapassaram os 1.000 milhões de euros, Luís Reis sublinhou que isso significa a "passagem para a primeira liga" de um retalhista especializado (que vende eletrónica).

Aliás, a Worten "já é o segundo 'player' [operador] ibérico na eletrónica", sublinhou.

Destacou ainda o desempenho da marca de roupa Salsa, cujas vendas cresceram no mercado português e no estrangeiro.

No ano passado, as vendas da Sonae MC subiram 5,4% para 3.884 milhões de euros, as da Worten avançaram 10,2% para 1.003 milhões de euros e as da Sonae Sports & Fashion (S&F), na qual se inclui a marca de calças de ganga Salsa, progrediram 11,7% para 589 milhões de euros.

A subida das vendas na Sonae MC "foi suportada pela contínua expansão da rede de lojas (com a abertura de 19 Continentes Bom Dia e um Continente Modelo) e por um crescimento de vendas no universo comparável de lojas de 1,2%. Esta variação de vendas no universo comparável de lojas refletiu o impacto de um conjunto de medidas implementadas pela Sonae MC no sentido de fortalecer a sua proposta de valor", refere a Sonae, em comunicado.

No caso da Worten, o aumento de 10,2% no ano passado foi "sustentado por um crescimento de vendas no universo comparável de lojas de 7,7% e por um aumento significativo da operação 'online', que cresceu mais de 50% em Portugal e 65% em Espanha", adianta o grupo.

Na Sports & Fashion, a evolução positiva "beneficiou não só da consolidação da Salsa no primeiro semestre, mas também do contributo positivo das restantes marcas, demonstrando o sucesso dos ajustamentos feitos na proposta de valor ao longo dos últimos trimestres".