O calor está a obrigar à colheita antecipada de fruta. O resultado é a redução da qualidade e da quantidade, ou seja, os prejuízos já se fazem antever. As produções de pêra rocha e maçã são as mais afetadas.

Segundo explicou o presidente da Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Legumes, a fruta tem um tamanho mais pequeno e por não ter o calibre ideal depois será vendida a um preço mais baixo.

Domingos dos Santos diz ainda que o cenário tem tudo para piorar uma vez que as reservas já começam a ficar vazias um pouco por todo o país.

Em declarações à TSF, sem querer fazer uma estimativa dos prejuízos, Domingos dos Santos diz que se chovesse agora não ia adiantar nada (campos alagados e produções estragadas), por isso, o melhor será chover só no outono.