[Notícia atualizada às 12h10]

Para o Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, os salários só devem aumentar se a produtividade crescer. Se assim não for, diz Carlos Costa, o país corre o risco de não sair do «para-arranca». 

Empresas em Portugal são em média «mal geridas» 

«Só conseguimos aumentar os salários se houver aumento da produtividade», disse o governador numa intervenção no XXIV Encontro de Lisboa entre os bancos centrais dos países de língua portuguesa, que decorre hoje de manhã em Lisboa.

Carlos Costa disse ainda que Portugal vai ter de se habituar a taxas de inflação baixas nos próximos anos, defendendo que o ganho de produtividade será fundamental para fazer crescer a economia portuguesa.

«Vamos ter de trabalhar com taxas de inflação baixas, e garantir que somos capazes de aumentar o rendimento real das famílias», disse o governador, citado pela Lusa.

«É pela via do ganho de produtividade que vamos criar as condições de crescimento da economia portuguesa», salientou o banqueiro central.