O primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault, defendeu esta sexta-feira a introdução de um salário mínimo europeu, que faça evitar distorções de mercado entre os países.

«Na verdade, não é na indústria que existem grandes diferenças, mas sim noutros setores, como na agricultura», disse o governante numa entrevista à emissora France Bleu Alsace durante uma viagem oficial a Estrasburgo.

Para Jean-Marc Ayrault, não se trata de uma tentativa da França de lançar numa campanha para «baixar cada vez mais os custos» e alinhar-se com a Alemanha nos setores afetados, mas sim abordar a questão a nível europeu.

«Quando se paga quatro euros a um trabalhador na agricultura, como nos podemos alinhar? Tem que haver um mínimo de decência, pagar corretamente aos trabalhadores, não há razão para assalariados a duas velocidades», disse.