A riqueza líquida das famílias espanholas - diferença entre empréstimos e poupanças - ultrapassou no final de 2013 um bilião de euros pela primeira vez desde o início da crise.

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Espanha, a riqueza financeira alcançou no final do ano passado um saldo líquido de 1,044 biliões de euros.

A riqueza financeira cresceu 25,6% face ao final de 2012, quando era de 831.473 milhões de euros.

Os ativos financeiros das famílias espanholas - dinheiro, ações, depósitos e valores - atingiram os 1,891 biliões de euros no final de 2013, mais 9,1% e o nível mais elevado desde 2007.

Do lado do passivo, as dívidas caíram em 2013 para 846.881 milhões de euros, menos 6%.