A concessão de crédito às famílias registou uma subida recorde. Em junho, o volume de novos empréstimos subiu 35,39% em relação ao ano passado.
 
Segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal (BdP), este ano, os empréstimos às famílias cresceram 148,11%. A compra de casa continua a ser o grande motor do crédito.
 
Só em junho, a banca dirigiu 377 milhões de euros para a aquisição de habitação, o que representa uma aumento de 27% face a maio e uma subida recorde, de 88,5%, em comparação com o mesmo período do ano passado.
 
Contas feitas, em relação aos novos empréstimos às empresas, os bancos concederam quase quatro mil milhões de euros no último mês do semestre.
 
No entanto, os novos empréstimos não são ainda suficientes para aumentar a base de crédito concedido em Portugal, que está a baixar desde 2011.


Dependência da banca junto do BCE volta a cair


A exposição dos bancos portugueses ao financiamento do Banco Central Europeu (BCE) voltou a cair em julho. 

Nesse mês, o financiamento desceu para os 25.745,88 milhões de euros, o valor mais baixo desde abril de 2010. 

De acordo com os dados do BdP, a exposição do setor bancário português acedeu a 25.745,88 milhões de euros, o que representa uma queda de 1.966,25 milhões de euros face ao mês anterior, em que este financiamento já tinha recuado para os 27.712,13 milhões de euros. 

Desde o início do ano, os bancos portugueses reduziram em 5.444,96 milhões de euros a sua exposição ao financiamento da instituição de Frankfurt, liderada por Mario Draghi.