empréstimo de 4,9 mil milhões de euros ao Fundo de Resolução para a criação do Novo Banco

«O empréstimo do Estado português ao Fundo de Resolução nada teve de imprudente e não se destinou a financiar qualquer expediente fraudulento. Ao invés, o empréstimo teve o legítimo propósito de dotar o Fundo de Resolução dos recursos necessários ao cumprimento, por este, da determinação do Banco de Portugal de conceder apoio financeiro para a criação e desenvolvimento da atividade do Novo Banco», frisou o MF.




«O empréstimo do Estado Português não padece de qualquer ilegalidade, tendo sido validamente prestado, com o propósito específico de financiar uma medida de resolução, cujas finalidades são, entre outras, assegurar a estabilidade do sistema financeiro nacional», sublinhou o ministério liderado por Maria Luís Albuquerque.