Para o segundo trimestre, «os bancos antecipam um aumento ligeiro da procura de empréstimos por parte das empresas, o qual deverá estar associado principalmente às PME, para todo o tipo de maturidades. No caso dos particulares, a maioria das instituições participantes perspetivam um ligeiro aumento da procura quer para aquisição de habitação quer para consumo e outros fins», lê-se no documento.

Entre abril e junho, «os critérios de concessão de crédito ao setor privado não financeiro deverão permanecer globalmente sem alterações, podendo contudo ocorrer uma ligeira diminuição da restritividade nos empréstimos quer a PME, quer a grandes empresas», acrescentou.