Quase 206 mil pessoas receberam o Rendimento Social de Inserção (RSI) em março, mês em que o valor médio da prestação subiu para os 116,54 euros devido à atualização do valor de referência desta prestação social.

Segundo dados do Instituto da Segurança Social (ISS), atualizados hoje, o RSI foi atribuído a 205.965 beneficiários em março, menos 783 face ao mês de fevereiro (-0,3%).

O valor médio da prestação social por beneficiário subiu de 95,40 euros, em fevereiro, para 116,54 euros, em março, o que representou mais 21,14 euros.

Comparando com o mês homólogo do ano passado, o número de beneficiários manteve-se praticamente igual, com 205.860 pessoas a receber esta prestação social em março de 2015, mais 105 face ao mês passado (-0,05%).

Os dados, publicados no ‘site’ da Segurança Social, revelam que a maior parte dos beneficiários reside nos distritos do Porto (60.206), Lisboa (35.518) e na Região Autónoma dos Açores (17.608).

Relativamente ao número de famílias beneficiárias, as estatísticas da Segurança Social apontam uma descida de 0,64% entre fevereiro e março.

Em março, 93.566 famílias receberam o Rendimento Social de Inserção, menos 594 face a fevereiro, cujo valor médio da prestação subiu para os 261,05 euros, mais 46,96 euros relativamente a fevereiro, devido à atualização do valor de referência desta prestação social.

Analisando os dados com março de 2015, verifica-se uma subida de 3,3% no número de famílias a receberem esta prestação social, passando de 90.403 em março do ano passado, para 93.566 no mês passado, o que totalizou mais 594 famílias.

A maior parte das famílias beneficiárias do RSI reside no Porto (27.715), seguindo-se Lisboa (16.507) e Setúbal (8.154).

Os aumentos dos valores de referência do RSI entraram em vigor a 01 de fevereiro, com a entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 1/2016, que “visa reintroduzir, de forma gradual e consistente, níveis de cobertura adequados, reforçando assim a eficácia desta prestação social enquanto medida de redução da pobreza, em especial nas suas formas mais extremas”.

O diploma do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social repõe o valor de referência do RSI, que se traduz num aumento da percentagem do montante a atribuir por cada indivíduo maior, de 50 para 70%, RSI, e por cada indivíduo menor, de 30 para 50% do valor de referência desta prestação social.

O valor do rendimento social de inserção corresponde a 43,173% do valor do indexante dos apoios sociais (IAS).