O preço do gás vai descer a partir do dia 1 de maio.

As tarifas transitórias de gás natural aplicadas aos consumidores que ainda se mantêm no mercado regulado deverão descer, em média, 7,3% para os consumidores finais com consumo igual ou inferior a 10.000 m3, 11,3% para os consumos acima de 10.000 m3 e 12% para os consumidores de média pressão, segundo a proposta da ERSE apresentada esta quarta-feira.

A descida do preço será feita por duas vezes. Haverá já uma descida nos preços a partir de 1 de maio, de 3,9% para os consumidores finais com consumo inferior ou igual a 10.000 m3, de 6,5% para os consumos acima de 10.000 m3 e de 9,4% para os consumidores de média pressão (industriais).

Depois, a 1 de julho, haverá uma segunda descida das tarifas para estes segmentos de consumidores no valor de 3,5%, 5% e 2,8%, respetivamente.

As tarifas transitórias destinam-se aos cerca de 510 mil consumidores que ainda não estão no mercado regulado, uma vez que os restantes 840 mil, segundo os dados mais recentes, já se encontram no mercado liberalizado com preços determinados em mercado.

Saiba quanto se poupa

Esta variação tarifária acumulada vai refletir uma descida de cerca de 1 euro por mês numa fatura média de cerca de 13 euros, o que corresponde a um casal sem filhos.

Já para uma fatura média de cerca de 25 euros, para um casal com filhos, a descida será de dois euros.

Na tarifa social, a descida será de 7,3% para os consumidores considerados económicamente vulneráveis, ou seja, cerca de 1 euro numa fatura mensal de 12,5 euros (a tarifa social vai vigorar durante um ano, entre 1 de julho de 2015 e 30 de junho de 2016).