Milhares de beneficiários da Segurança Social a receber subsídio de desemprego ou de doença terão de devolver parte do dinheiro recebido. A Segurança Social «esqueceu-se» de aplicar os cortes de 6% nos subsídios dos desempregados e de 5% nos apoios a quem estava de baixa, nos meses de agosto e setembro, e quer agora o dinheiro de volta.

Os cortes em causa estão em vigor desde julho, mas a Segurança Social não os refletiu nos pagamentos entretanto efetuados.

Os visados estão a receber cartas da Segurança Social, pedindo o reembolso do «pagamento indevido» num prazo máximo de 30 dias e disponibilizando várias formas de pagamento, inclusive por Multibanco ou cheque.

Em agosto existiam, de acordo com as estatísticas oficiais, 387.047 beneficiários do subsídio de desemprego e 93.570 beneficiários de subsídio de doença.

No entanto, os cortes não se aplicam a todas as prestações pagas, já que os valores inferiores a 419 euros estão isentos, pelo que não se sabe exatamente o número de pessoas afetadas pelo erro da Segurança Social.