A Caixa Geral de Aposentações (CGA) deu luz verde a 20.330 novas pensões, mas destas 52% dizem respeito a reformas antecipadas, mostra o relatório e contas da entidade, escreve o «Diário Económico».

Prazo para atribuição de pensões foi de 6,3 meses em 2013

Metade das reformas pagas pela CGA são inferiores a 1.000 euros

O documento da CGA aponta o elevado número de pedidos que deram entrada ainda no final de 2012, apresentados por trabalhadores que pretendiam «fugir» ao agravamento das penalizações para o acesso à reforma.

De acordo com os dados, citados pelo mesmo jornal, só no último trimestre de 2012, os serviços receberam, ao todo, 29.815 pedidos de reforma, um valor significativo que se prendeu com o «conhecimento prévio» do «agravamento das condições de passagem à aposentação em 2013».

Recorde-se que em janeiro do ano passado a idade exigida para a reforma passou a ser de 65 anos para a função pública, mas quem fez o pedido até dezembro de 2012ficou com as condições vigentes nesse ano asseguradas.

Esta alteração não deixou de ter efeitos na taxa de penalização das novas pensões antecipadas que, no ano passado, aumentou 14,6%, contra os 12,2% registados em 2012.