As prestações do crédito à habitação revistas em maio vão descer. No entanto, esta descida ainda não reflete a quebra da taxa Euribor a três meses para terreno negativo.
 
As cinco sessões consecutivas em que a Euribor a três meses segue no vermelho não são suficientes para que a média mensal que serve de base para o cálculo da taxa de juro seja negativa. O cenário de descida da prestação fica adiado um mês.
 
Ainda assim, os encargos nas taxas a três meses revistas em maio devem baixar entre 0,8% e 5,7%.
 
Quem tiver associada ao crédito a Euribor a seis meses vai beneficiar de uma descida de 1,5%, mas o maior impacto vai sentir-se nos créditos associados à Euribor a 12 meses, onde os encargos vão diminuir 5,7%.


Taxas Euibor caem para novos mínimos

As taxas Euribor caíram hoje a três, seis, nove e 12 meses para novos mínimos de sempre. 

De acordo com a Lusa, a taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, desceu hoje para 0,062%, um novo mínimo de sempre e menos 0,005 pontos do que na segunda-feira. 

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril, foi hoje fixada em -0,005%, novo mínimo de sempre e menos 0,003 pontos do que na segunda-feira. 

No prazo de 12 meses, a Euribor também desceu 0,003 pontos, ao ser fixada em 0,168%, outro novo mínimo. 

A nove meses, a Euribor desceu 0,004 pontos percentuais, para 0,110%, também um novo mínimo de sempre. 

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.