Os preços voltaram a cair 0,4% em setembro face ao período homólogo, mantendo a quebra de agosto e a trajetória descendente pelo oitavo mês consecutivo, enquanto em termos mensais subiram 0,6%, anunciou hoje o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a variação média dos últimos 12 meses diminuiu 0,1 pontos percentuais (p.p.) para -0,3%.

De acordo com o instituto, nota a Lusa, excluindo a energia e os bens alimentares não transformados (inflação subjacente), a inflação apresentou em setembro uma subida homóloga de 0,1%, que compara com os 0,4% do mês anterior.

Entre as classes com contribuições positivas para a variação homóloga dos preços, o INE destaca a da habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis, com uma variação homóloga de 2,3% em setembro (0,1 p.p. superior à do mês anterior), «influenciada em grande medida pelo sub-subgrupo das rendas efetivas pagas por inquilinos de residências principais».

De referir ainda o «contributo positivo» das classes dos restaurantes e hotéis, com uma subida homóloga de 1,9% em setembro (0,6 p.p. acima da de agosto) e das bebidas alcoólicas e tabaco, com um crescimento homólogo de 3,7% (3,4% em agosto).

Nas classes com contribuições negativas, o instituto salienta a dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, que apresentou uma queda homóloga de 2,2% em setembro (-3,2% em agosto), seguida da classe do lazer, recreação e cultura, com uma descida homóloga de 2,4% em agosto (variação de -1,0% no mês anterior).

Segundo o INE, a principal alteração na contribuição das classes para a variação homóloga do IPC, comparativamente com o verificado no mês anterior, encontra-se na classe dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, cuja contribuição foi menos negativa em 0,2 p.p.

O instituto destaca ainda as classes de transportes, com uma diminuição da sua contribuição em 0,2 p.p., passando a apresentar um contributo negativo, e do lazer, recreação e cultura, cuja contribuição para a variação homóloga do IPC foi «ligeiramente mais negativa» do que no mês anterior.

Em termos mensais, a subida de 0,6% dos preços em setembro compara com a descida de 0,2% no mês anterior e o aumento de 0,6% em setembro de 2013.

Quanto ao Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português, registou em setembro uma variação homóloga nula (-0,1% em agosto), inferior em 0,5 pontos percentuais à taxa estimada pelo Eurostat para os países do euro (uma diferença inferior em 0,6 pontos percentuais face à do mês anterior).

A taxa de variação mensal do IHPC situou-se nos 0,5% em setembro (taxa igual à observada no mesmo mês de 2013) e a taxa de variação média dos últimos 12 meses foi de -0,1% (igual à registada no mês anterior).