A confusão em torno do aumento do preço dos combustíveis está instalada.
 
As petrolíferas aplicaram atualizações diferentes e, por isso, cada marca subiu os preços como entendeu. A confusão foi gerada porque o Governo só publicou a portaria para esclarecer a forma de cálculo na taxa de carbono ao final da tarde do dia 31.
 
Assim, a Repsol tomou a decisão centralizada de mandar aumentar em 2,5 cêntimos, mas outras petrolíferas hesitaram e aplicaram valores diferentes. «Aumentei os meus combustíveis às 11h do dia 1, mas só porque me guiei pelos valores dos postos da Galp no site da DGE», afirmou José Manuel Ribeiro, dono de um posto da marca em São João da Pesqueira, citado pelo «Jornal de Notícias.
 
A gasolina e o gasóleo subiram entre um e oito cêntimos, mas a verdade é que pode descer já a partir da próxima segunda-feira.
 
Os consumidores esperavam que todos os postos e marcas aumentassem os combustíveis na mesma proporção, uma vez que a subida se deve a valores fixos de dois impostos que se prendem com a Fiscalidade Verde: Taxa de Carbono e Contribuição do Serviço Rodoviário.