O subsídio de Natal é cada vez menos utilizado para comprar presentes na época festiva. Se em 2011, 82% dos inquiridos o usava para este fim, em 2012 já eram 63% e em 2013 o número diminui ainda mais para os 49%. O número de portugueses que afirmam não receber o subsídio de Natal tem vindo também a aumentar: em 2011 eram 9% dos portugueses que diziam não o receber, em 2012 21% e em 2013 o número já chega aos 25%. Estes dados foram recentemente revelados por um estudo do Observador Cetelem sobre as «Intenções de Compras de Natal dos Portugueses».

Segundo o comunicado, a faixa etária entre os 18 e os 24 anos é aquela que mais diz não receber o subsídio de Natal. Mais de 60% dos membros desta faixa etária não tem este tipo de rendimento. Por outro lado, é na faixa etária entre os 45 e os 54 anos que se encontra a maioria dos que utilizam este subsídio para compra de presentes natalícios: são 58% os que dizem que o fazem.

O mesmo estudo do Observador Cetelem revela que a percentagem de pessoas que não compra presentes nesta época também aumentou: enquanto em 2011 se situava nos 1%, em 2013 já chega aos 7%. Em termos de diferenças socioeconómicas, a maior encontra-se neste ponto: os que compram ou não presentes de Natal. Se nas classes com mais rendimentos só 4% não o faz, nas classes menos abastadas são 18% que não fazem compras neste período festivo. A utilização do próprio subsídio também é bastante menor entre os menos abastados. Só 35% o fazem contra os 53% das classes mais altas.

Note-se que este estudo do Observador Cetelem sobre as «Intenções de Compra dos Portugueses no Natal 2013» foi realizado em colaboração com a Nielsen e aplicada, através de um inquérito quantitativo, a 500 indivíduos de Portugal Continental, de ambos os sexos, dos 18 aos 65 anos, entre o período de 3 a 5 de Outubro de 2013.