Mais de 1800 funcionários públicos já renunciaram à ADSE desde 2011, ano em que tomou posse o Governo. Segundo o correio da Manhã, os sindicatos temem o fim do sistema.

Dados da ADSE mostram que em 2011 foram registadas 125 renúncias, em 2012 subiu para 200, em 2013 foi de 319 e em junho deste ano atingiu-se as 1208 renúncias. No total, em 3 anos já desistiram do sistema 1852 funcionários públicos.

Um dos mais importantes fatores que contribuiu para as desistências foi o progressivo aumento dos descontos nos últimos 2 anos e meio: em 2012 era de 1,5% sobre o salário bruto, em agosto de 2013 subiu para 2,25% e no início deste ano voltou a aumentar para 2,5%, estando previsto um aumento para os 3,5% no ano que vem.

A ADSE estima no final deste ano ter um superavit, com o total das receitas a atingir 435,5 milhões e as despesas de 406,5 milhões de euros.