“A grande maioria das subidas de impostos desde a crise recaem sobre as famílias através de mais contribuições à Segurança Social, do IVA e do imposto sobre os salários”, acrescentou.