Os hotéis da Serra da Estrela já têm lotação esgotada ou praticamente esgotada para a passagem de ano, o que confirma a montanha mais alta de Portugal continental como um dos destinos mais procurados para a última noite do ano.

"O fim de ano na Serra da Estrela continua a ser um dos maiores ex-líbris para esta data e as reservas começam a ser feitas muito antes e numa altura em que não se sabe se haverá ou não neve", disse o diretor das unidades hoteleiras da Turistrela, Rui Abrantes.

Em declarações à agência Lusa, este responsável explicou que "já estão praticamente esgotadas" as três unidades hoteleiras que a Turistrela tem em pleno coração da montanha e que, em conjunto, têm capacidade para 600 pessoas.

"Estamos com o Hotel dos Carqueijais com 95%, o Hotel Serra da Estrela com 90% e os chalés de montanha com 90%, mas com certeza que iremos esgotar, porque a procura é sempre muita", referiu.

A força da Serra da Estrela nesta data também se verifica nos preços praticados que, segundo Rui Abrantes, estão entre os mais caros de Portugal, "a par da Madeira ou do Algarve".

Da oferta nos hotéis da Turistrela, os valores variam entre os 700 euros (duas noites para duas pessoas) e os quase 4.000 euros para o programa de duas noites no chalé presidencial, que tem capacidade para oito pessoas.

Esgotado "há mais de dois meses" está o H2otel Congress & Medical SPA, em Unhais da Serra, que apresenta um pacote para três noites com valores a partir dos 700 euros por pessoa. Os 90 quartos (17 suítes) com capacidade para 250 pessoas foram insuficientes para dar resposta a todos quantos ali queriam passar a última noite do ano.

A "oferta diferenciadora e de excelência" leva a que este seja sempre o primeiro hotel do grupo IMB Natura a ficar preenchido, mas este ano os restantes hotéis do grupo (Hotel Turismo da Covilhã, Covilhã Hotel Parque, Hotel Vanguarda e Hotel Lusitânia) também registam bons resultados.

"Na Covilhã já estamos lotados e na Guarda a taxa já ronda os 80% de ocupação, o que representa uma melhoria muito substancial, em linha com o que tem estado a verificar-se em termos genéricos na hotelaria", referiu Luís Veiga, administrador do grupo IMB.

Na Pousada Serra da Estrela, construída no antigo Sanatório dos Ferroviários, também já não é possível fazer reserva para nenhum dos 92 quartos, conforme comprova uma tentativa feita na quinta-feira ao final do dia.

Sem qualquer quarto disponível para o fim de ano está também o Hotel Eurosol de Seia, onde este ano as reservas começaram a chegar mais cedo, "logo a partir de setembro", conforme adiantou o responsável daquela unidade, Miguel Camelo, em declarações à agência Lusa.

"Na passagem de ano, esta é efetivamente uma marca que vende e até com preços bastante diferentes daqueles que praticamos noutras épocas do ano e até noutros dias do inverno", afirmou.