O ministro do Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, confirma que os trabalhadores do setor privado poderão optar por receber o pagamento de metade dos subsídios de férias e de Natal em duodécimos em 2014.

«Manteremos em 2014 a possibilidade do pagamento em duodécimos dos subsídios de férias e de Natal aos trabalhadores do setor privado», afirmou o ministro no final da reunião em sede de concertação social.

Mota Soares referiu que o Governo foi «sensível» às preocupações manifestadas pelos parceiros sociais. «No caso do setor privado, isto só acontece a pedido do próprio trabalhador», à semelhança do que aconteceu já em 2013.

O anúncio de Mota Soares tinha já sido confirmado pelos parceiros sociais no final deste encontro, no qual marcaram presença, nomeadamente, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o ministro da Economia, Pires de Lima.

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva, lembrou que é defensor de «um regime único» para todos os trabalhadores, mas subscreve que seja mantida a prática de 2013, uma vez que as empresas já se adaptaram a este sistema.

Na prática, no setor privado mantém-se assim o regime aplicado este ano, que dá a possibilidade aos trabalhadores de escolherem o pagamento de metade dos subsídios (de Natal e de férias) em duodécimos.

Também o presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes, confirmou a decisão do Governo de prorrogar o pagamento dos subsídios em duodécimos por opção do trabalhador, lembrando no entanto que defende «um regime único» para todos os trabalhadores.