Um despacho do antigo ministro das Finanças, Vítor Gaspar, relativo às atividades destinadas especificamente aos filhos dos beneficiários dos Serviços Sociais da Administração Pública, fez suspender o Circo de Natal, enquanto as aulas de vela em Belém e de equitação na Quinta da Marinha não deixaram de ser realizadas.

De acordo com a edição desta segunda-feira do jornal «i», os filhos dos beneficiários dos Serviços Sociais da Administração Pública têm direito a desfrutar de um leque de atividades, enquadradas em quatro categorias de campos de férias: abertos, temáticos, fechados e em família.

Ora, segundo o jornal, o ano passado foram gastos 9.792,34 euros em apenas três iniciativas temáticas que abrangeram 59 jovens entre os 13 e os 18 anos: 'Vela em Belém', e duas edições de 'Equitação na Quinta da Marinha', sendo que o dinheiro injetado nestas atividades correspondeu, em termos médios, a 165,9 euros investidos em cada jovem.

Já no que diz respeito aos campos de férias fechados, o investimento fixou-se em 88.251,68 euros, contemplando 531 jovens. Os campos de férias abertos custaram 12.476,71 euros e integraram 291 crianças. Por fim, os campos de férias em família, gozados por 30 pessoas, corresponderam a um encargo de 671,51 euros. Todos tiveram lugar entre os meses de julho e agosto.

Só que, ao contrário do que seria suposto, a possibilidade de 15 mil crianças e respetivos acompanhantes desfrutarem de quatro sessões de Circo de Natal previstas em anos anteriores foi-lhes vedada. Tudo porque o antigo ministro assinou um despacho datado de 12 de setembro que impedia os serviços de assumirem novos compromissos sem o seu parecer, o que, em última instância, acabou por resultar na suspensão não só do referido circo, como das 'Atividades de férias de Natal com crianças e jovens' e da 'Passagem de Ano Sénior'.

Estado retira rendimento social a 136 mil pessoas

Já o «Diário de Notícias» dá conta que o Estado retirou, entretanto, rendimento social a 136 mil pessoas, à custa da mudança de regras e de cálculo de rendimentos.

O valor máximo do RSI diminuiu, as casas e os carros passaram a ser tidos em conta e, assim, a renovação deixou de ser automática.