A nova tabela salarial da função pública, que está a ser preparada pelo Governo, deverá aplicar, em 2014, um novo corte global de cerca de cerca de 5% nos salários dos funcionários públicos, avança o «Correio da Manhã».

De acordo com o jornal, o objetivo do Governo é reduzir a despesa em 445 milhões de euros.

A redução deverá incidir sobre os ordenados atuais, que já sofreram este ano um corte médio de 5% acima dos 1.500 euros, e será efetivo com a criação de uma nova tabela única remuneratória para toda a administração Pública, e com a redução dos suplementos remuneratórios.

As novas tabelas salariais da Função Pública deverão ser aprovadas na quinta-feira em Conselho de Ministros, ocasião em que também deverá ser discutido o Orçamento do Estado para o próximo ano.

Na carta que enviou à troika em maio o primeiro-ministro assumia o compromisso de reduzir a despesa com salários em 378 milhões de euros por via da nova tabela salarial, a que se somava uma poupança de 67 milhões com a tabela única de suplementos remuneratórios. A soma das duas variáveis gera uma poupança de 445 milhões.

Para a poupança ser real, o Governo terá de assumir como definitivo o corte temporário de 5% que está a ser aplicado nos ordenados acima de 1.350 euros desde 2011.