Mais de 163 mil contribuintes foram chamados pelo Fisco para justificarem as suas declarações de IRS de 2012, um número que está em linha com o do ano passado, segundo dados da secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais.

De acordo com a edição desta terça-feira do jornal «Diário Económico», o Fisco obrigou 5% dos contribuintes a explicar as suas declarações. Este controlo é feito todos os anos e a percentagem de cidadãos abrangidos agora está em consonância com a do ano anterior.

Os contribuintes que já foram chamados correspondem à primeira fase de entrega de declarações, ou seja trabalhadores por conta de outrem ou pensionistas. Mas também já foram chamados alguns da segunda fase.

Segundo o secretário de Estado dos Assuntos Ficais, Paulo Núncio, como o processo ainda não está concluído não é para já possível calcular quantas mais pessoas serão chamadas a justificar os seus rendimentos e despesas em sede de IRS.

«O maior número de divergências detetadas neste ano está relacionado com a omissão de alienação de valores mobiliários», ou seja com a declaração de mais ou menos-valias resultantes da venda de ações, adiantou Paulo Núncio.

De acordo com o portal das Finanças, 3.265.687 contribuintes submeteram as suas declarações de IRS na primeira fase e 1.733.161 na segunda.

Entretanto já foram processados reembolsos de IRS a cerca de 2,3 milhões de famílias, no valor total de 1,8 mil milhões de euros.

O Ministério das Finanças adianta que a campanha de liquidação de IRS continua a desenrolar-se com normalidade, acrescentando que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, deu instruções para que o processo geral fique concluído a 15 de julho, antecipando a sua conclusão em 15 dias face a 2012 (neste ano o processo de liquidação do IRS terminou apenas em 31 de julho).