Singapura continua a ser a cidade mais cara do mundo pelo terceiro ano consecutivo, à frente de Hong Kong, Zurique, Genebra e Paris, de acordo com um estudo do Economist Intelligence Unit, publicado esta quinta-feira.

Londres está na sexta posição, à frente de Nova Iorque e Los Angeles, duas cidades dos EUA que este ano foram arrastadas para o top 10 devido à recuperação do dólar, que aumentou o custo de vida nos Estados Unidos.

Nova Iorque nunca esteve numa posição tão elevada desde o ano de 2002, ao subir 42 lugares nos rankings desde 2011, segundo o estudo. Paris é a única cidade da zona euro no top 10, onde se encontra também Copenhaga, juntamente com Seoul e Los Angeles.

Por sua vez, outras cidades europeias têm “continuado a cair no ranking” por causa do dólar forte e da fraqueza do euro, refere o estudo.

Já as cidades japonesas caíram. A estagnação da inflação e a queda do yen “puxaram Tóquio e Osaka para baixo no ranking”. Tóquio está na 11ª posição e Osaka na 14ª. As únicas cidades asiáticas no top 10 do ranking são Singapura, Hong Kong e Seoul.