São Tomé e Príncipe está entre os dez destinos eleitos pela equipa responsável pela editoria de viagens da cadeia televisiva CNN para umas «férias de sonho» em 2014.

Entre parques do Quénia e do Alasca, jardins do Japão e árvores de Madagáscar, a aurora boreal da Finlândia, uma ilha situada na barreira de coral australiana, um mosteiro italiano convertido em hotel e desportos radicais na neve (Suíça) ou no mar (Papua Ocidental), a «dupla ilha» de São Tomé e Príncipe é «um bom candidato ao cliché da ilha exótica e paradisíaca», considera a equipa do canal de notícias por cabo dos Estados Unidos.

«Uma vez na ilha, não há muito para fazer. Mas essa é a ideia», justifica a CNN, recordando que o lema são-tomense é «leve-leve», que é como quem diz «vai com calma».

Observar aves em florestas densas, ficar alojado em plantações coloniais e «beber café realmente bom» são os atrativos destacados, sem esquecer os clubes noturnos onde se dança de forma «inigualável».

São Tomé e Príncipe, arquipélago situado na costa ocidental de África, recebe «apenas 20 turistas por semana», não por razões de insegurança ou fealdade, mas porque as pessoas «não sabem onde fica, a não ser que sejam de lá», escrevem, mencionando que os visitantes chegam em «voos ocasionais de Portugal» e «navios de carga do Gabão».

A apreciação da equipa da CNN termina com um alerta: «Foi descoberto petróleo ao largo de São Tomé e Príncipe, portanto deve lá ir em breve». E deixa uma dica: a companhia aérea portuguesa TAP é a única a voar diretamente de e para São Tomé e Príncipe, a transportadora angolana TAAG efetua voos de Angola, Gana e Cabo Verde.

Brasil e Moçambique são os outros países lusófonos eleitos pela equipa da CNN, neste caso para as cem melhores praias do mundo: as brasileiras Porto da Barra, em Salvador (comparada a Venice Beach, em Los Angeles), e Praia do Sancho, na ilha de Fernando de Noronha, ficaram em 50.º e 95.º lugares, respetivamente, enquanto a moçambicana Vilanculos, na província de Inhambane, foi a 77.º escolha, por ser boa para nadar e mergulhar.