O novo tarifário da EPAL, que entrou em vigor a 01 de agosto, implica uma atualização, em média, de mais 31 cêntimos por mês para cerca de 86% dos clientes domésticos, foi esta terça-feira anunciado.

Em comunicado, a Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL) refere que o tarifário terá uma atualização média de 1,19% para 2014, tendo uma incidência «em 2,13% sobre os clientes diretos da EPAL e em 0,00% sobre os clientes municipais abastecidos em alta» (empresas municipais distribuidoras a quem a EPAL fornece a água).

No ano passado, a atualização tarifária, também feita em agosto, representou um acréscimo de 0,61% para os clientes diretos, em comparação com os 2,13% aplicados este ano, o que significa um aumento de 1,52 pontos percentuais.

A EPAL acrescenta que irá manter este ano o tarifário especial para as famílias carenciadas, criado em 2013.

A título de exemplo, um cliente doméstico com um consumo médio de 8 metros cúbicos/mês «passará a pagar 1,98 euros, se beneficiar deste tarifário, reduzindo a fatura em 74%», frisa a empresa.

Em março deste ano e sobre este tarifário social, introduzido em agosto do ano passado, o presidente da EPAL, José Sardinha, disse que houve 1.532 adesões em sete meses. Para poder beneficiar, o agregado familiar deverá ter rendimentos na ordem dos 400 euros.

Além desta tarifa, existe a Tarifa Familiar da Água, destinada a agregados familiares com cinco ou mais pessoas, que se baseia no princípio da equidade e evita que os maiores consumos resultantes da dimensão do agregado sejam faturados aos escalões mais elevados.

A EPAL anuncia ainda a criação de um novo tarifário para este ano.

«Específico para as instalações centralizadas de aquecimento de águas sanitárias, para os clientes domésticos com sistemas prediais dotados destas instalações. A adesão a este novo tarifário pressupõe a existência de um contrato específico com um contador próprio», sublinha a empresa.

O novo tarifário para a venda de água para 2014, que entrou em vigor a 01 de agosto, foi aprovado em 28 de julho pela Direção Geral das Atividades Económicas.

A empresa pública, detida integralmente pelas Águas de Portugal, registou, em 2013, uma quebra do lucro de 8% para 40 milhões de euros, em comparação com os 43,6 milhões de 2012.

A EPAL abastece cerca de três milhões de pessoas de 35 concelhos a norte do rio Tejo, sendo responsável pelo abastecimento direto de cerca de 350 mil clientes no concelho de Lisboa.