É uma notícia TVI: está a ser preparado um aumento de 7% da contribuição audiovisual para a grande a maioria das famílias. A taxa para financiar a RTP deverá subir para os três euros, de modo a compensar a isenção que vai ser dada a 500 mil famílias de baixos rendimentos. 

A subida da contribuição audiovisual deverá ser de 20 cêntimos (de 2,80 para 3 euros) e esta decisão, que vai abranger 5,5 milhões de clientes, entrará em vigor já em 2017.
 
Esta é uma medida que faz parte do acordo entre o Partido Socialista e o Bloco de Esquerda, que prevê o acesso automático desse meio milhão de famílias à tarifa social na eletricidade e no gás.
 
Vamos a contas: um agregado familiar que hoje não beneficia da tarifa social paga 65 euros em energia – 50 euros de eletricidade e 15 euros de gás – terá então, no acesso ao pacote (Tarifa Social, Apoio Social Extraordinário ao Consumidor de Energia e Isenção da Taxa Audiovisual) uma poupança mensal de 30 euros.
 
Com a nova legislação, estes 30 euros são a soma de 16,65 euros da tarifa social de eletricidade, mais 5 euros da tarifa social de gás, 3,5 euros do apoio extraordinário de eletricidade, 2,09 euros do apoio do gás e 2,80 da isenção da taxa audiovisual.

No final do terceiro trimestre de 2015, o número de beneficiários da tarifa social de eletricidade era cerca de 85 mil, ou seja, menos de um quinto do objetivo de chegar aos 500 mil definidos pelo anterior Governo. No entanto, o número registou um aumento expressivo, uma vez que, em abril, os beneficiários chegavam apenas aos 45 mil.