A DECO lançou hoje um segundo leilão de energia, mas com uma proposta dual, que integra gás e eletricidade, recebendo as inscrições dos consumidores a partir de hoje e até à véspera do leilão, marcado para 30 de junho.

«Há um potencial no mercado duo [eletricidade combinada com gás] e as poupanças dos consumidores podem ser maiores» do que as que beneficiam hoje em dia, afirmou Rita Rodrigues, representante da associação de consumidores DECO neste leilão.

Este leilão vai ter quatro modalidades, para não deixar de fora quem não está interessado numa oferta combinada: eletricidade simples; eletricidade com bi-horário; eletricidade e gás com tarifa simples e proposta dual com tarifa bi-horária.

A DECO garante ainda que não há cláusulas abusivas nos contratos do comercializador que vencer o leilão, e que o período de fidelização de 12 meses vai ser apenas uma segurança para o consumidor, uma vez que não poderão ser aplicadas penalizações aos consumidores que quiserem desistir do contrato antes de terminados os 12 meses.

As inscrições dos consumidores interessados devem ser feitas no site www.paguemenosenergia.com e até 27 de junho e a receção das propostas dos comercializadores está marcada para 30 de junho, prevendo-se o anúncio do vencedor no dia seguinte à tarde.

O primeiro leilão foi lançado no ano passado em maio, tendo-se inscrito quase 600 mil consumidores ou cerca de 10% do mercado doméstico de eletricidade.

«O principal objetivo do primeiro leilão, que era mexer no mercado, foi conseguido. Mas esse impulso esmoreceu, o mercado está a ficar adormecido e, por isso, achámos que este é o momento certo para um segundo leilão», explicou, lembrando que cerca de 50% dos consumidores de eletricidade ainda não estão no mercado liberalizado que termina no próximo ano.

A DECO já deu conhecimento do leilão a todos com os comercializadores de energia que estão no mercado: três com oferta combinada: Galp, EDP e Gold Energy e outros cinco para fornecimentos de apenas eletricidade.

No primeiro leilão de eletricidade a EDP ofereceu, quase no dia a seguir a ser conhecido o vencedor, uma proposta ainda mais atrativa para o consumidor, um risco que a DECO não afasta que possa acontecer também neste segundo leilão.

«Seria contraditório com os nossos princípios lançar um leilão e depois não deixar funcionar a concorrência. O consumidor sai sempre a ganhar com preços mais baratos, e é isso que queremos», disse Rita Rodrigues.

Quem beneficiou do primeiro leilão da DECO pode também participar neste leilão, sem qualquer prejuízo, esclareceu a associação.