O crédito malparado dos particulares e das empresas voltou a aumentar e a atingir máximos, segundo dados do boletim estatístico do Banco de Portugal, divulgados esta terça-feira.

Défice da balança corrente dispara mais de 25 vezes



No caso do crédito malparado dos particulares, em abril fixou-se nos 5.223 milhões de euros, o valor mais alto desde agosto de 2013 e uma subida de 1,6% no espaço de um ano. Significa isto que em apenas 3 meses mais de 10 mil famílias deixaram de conseguir pagar os empréstimos à banca.

Nas empresas, o malparado bateu recordes e está nesta altura quase a tocar os 12,5 mil milhões de euros, depois de uma ligeira descida no mês de março. É uma subida de 9% relativamente ao mesmo período do ano anterior.

O malparado nas empresas representa atualmente 13% do total.