Diminuiu o número de famílias com crédito malparado. Agora são menos de 690 mil os casais que estão em situação de incumprimento, sendo que a maior parte respeita a empréstimos para consumo e outros fins.

A crise ajudou, assim, a alterar comportamentos. Apesar de existirem muitas famílias que não conseguem pagar os seus empréstimos ao banco, a verdade é que o número está a diminuir.

Em junho eram menos de 690 mil (687.449) e há um ano ultrapassavam as 708 mil (708.498).

Os bancos facilitam menos e, por isso, os portugueses também controlam o ímpeto consumista, recorrendo menos ao cartão de crédito.

No crédito ao consumo, o número de famílias que não consegue regularizar a dívida caiu: são agora menos de 18.500 do que há 12 meses.

O consumo a crédito está também mais moderado e no crédito à habitação há menos famílias a deixar de pagar. São agora cerca de 147 mil, quando há um ano eram mais de 150 mil.

Mas esta queda também pode ser reflexo de um aumento de contratos renegociados com a banca de modo a baixar a prestação da casa.