Os empréstimos a empresas e a particulares na zona euro caíram em julho pelo 15.º mês consecutivo, prolongando, apesar dos sinais de recuperação económica, aquele que já é o mais longo período de contração do crédito na região.

Segundo dados hoje divulgados pelo Banco Central Europeu (BCE), citados pela Bloomberg, os empréstimos ao setor privado caíram 1,9% em julho, face ao mesmo mês de 2012.

Corrigida de vendas e titularização de empréstimos, a evolução homóloga foi negativa em 1,4%.

No passado dia 01, o presidente do BCE, Mario Draghi, afirmou que a concessão de crédito iria atrasar a recuperação na economia real, numa altura em que a zona euro conseguiu emergir da recessão ao registar um crescimento de 0,3% no segundo trimestre do ano, após seis trimestres de contração.

Na Alemanha, o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 0,7% de abril a junho, face ao trimestre anterior, enquanto em Itália o PIB recuou 0,2% e em Espanha contraiu 0,1%.

Segundo os dados hoje divulgados, a taxa de crescimento do M3 - indicador da massa monetária em circulação na zona euro usado pelo BCE avaliar as pressões inflacionistas - abrandou para 2,2% em julho, face aos 2,4% de junho.