Quatro empresas portuguesas de compras online com desconto, vulgarmente conhecidas como compras coletivas, uniram-se numa associação, destinada a proteger os interesses dos consumidores neste setor.

A Associação de Empresas Portuguesas de Compras Colectivas (AEPCC) compromete-se a «regular e a reforçar a confiança neste segmento, colocando os interesses e direitos dos clientes em primeiro plano».

Esta Associação pretende ser uma verdadeira instituição de defesa do consumidor no segmento das compras coletivas à qual os lesados poderão recorrer para denunciar uma situação menos positiva que tenha ocorrido em qualquer site.

«Numa altura em que, diariamente, surgem reclamações deste tipo de empresas, quer seja nas redes sociais, na DECO, ou no Portal da Queixa, torna-se óbvia a necessidade de uma entidade com o perfil da AEPCC», defende a entidade em comunicado.

Constituída apenas por empresas portuguesas (Cardume, Goodlife, Lifecooler-Travel e Odisseias) e sem fins lucrativos, a AEPCC «pretende instituir um mercado mais desenvolvido, mais coeso e mais justo para todos os envolvidos».

A AEPCC estreia-se na próxima segunda-feira, dia 22 de Outubro. Segundo Gonçalo Sousa Uva, partner da Goodlife, numa fase em que «o mercado das Compras Colectivas começa a ficar maduro, com muitos players, surge a necessidade de existir uma entidade que regule as atividades das várias empresas e que mantenha uma certa equidade nas atitudes com clientes e parceiros. Foi esta a principal razão que nos levou a unir esforços e a criar a AEPCC».



«Esta associação é fundamental para garantir a qualidade das ofertas e assegurar a credibilidade dos sites de compras coletivas junto do consumidor. Elevar os padrões de qualidade e promover os recursos turísticos nacionais, puxando pelo que é nosso, é a grande missão comum», refere Paulo Parreira, partner da Lifecooler-Travel.

Uma das primeiras iniciativas é a criação do Selo de Qualidade AEPCC, uma garantia adicional de segurança ao consumidor final no momento da compra. Para Ricardo Leitão, partner da Cardume, «num projeto com este peso e importância para o mercado das compras coletivas, que visa regular e credibilizar os descontos online, a Cardume tinha que estar presente desde o início».

«Formar parte desta Associação faz todo o sentido para a Odisseias, já que promove os mesmos valores que a empresa defende desde a sua criação, em 2005», comenta Francisco Costa, partner da Odisseias.