Os preços dos combustíveis já começaram a baixar esta segunda-feira, reflexo da queda das cotações dos derivados de petróleo nos mercados internacionais durante a semana passada.

Tal como se previa, algumas petrolíferas baixaram já os preços, com maior ênfase na gasolina, cujas cotações tiveram a maior descida desde há praticamente um ano, que no gasóleo.

A Galp aplicou as maiores descidas de preços e pratica agora os valores mais baixos entre as quatro maiores petrolíferas: o gasóleo nas bombas da marca baixou um cêntimo para 1,449 euros e a gasolina ficou 4,5 cêntimos mais barata para 1,619 euros por litro.

A Cepsa baixou a gasolina em 2,5 cêntimos para 1,649 euros e o gasóleo em 0,5 cêntimos para 1,459 euros.

A Repsol ainda não aplicou qualquer descida aos preços, mantendo-se o valor de referência para o diesel nos 1,464 euros e para a gasolina nos 1,669 euros.

A BP, por seu lado, apenas baixou o preço da gasolina: menos 2,5 cêntimos, para 1,654 euros. O gasóleo mantém-se nos 1, 469 euros.

Como fatores que justificam estes movimentos, os analistas referem o aumento dos stocks de gasolina nos EUA e o sentimento de que o risco de escalada da crise na Síria se reduziu. A valorização do euro permitiu acentuar mais as descidas.