Os custos de construção de habitação nova desaceleraram em maio, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), ao registar uma taxa de 1,2%, mais baixa em 0,3 pontos percentuais (p.p.) do que a taxa de abril.

A componente materiais foi a que mais contribuiu para esta desaceleração, ao registar uma variação homóloga de 0,4% em maio, face a 1,0% em abril, enquanto a mão-de-obra teve uma taxa de variação homóloga de 1,8% em maio (1,9% no mês anterior).

Decréscimos também foram registados nas taxas de variação homóloga dos índices relativos a apartamentos e moradias, de 0,2 p.p. e 0,3 p.p. face a abril, para 1,1% e 1,3 %, respetivamente.

O índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação, no continente, registou uma variação homóloga de 1,2% em maio, inferior em 0,3 p.p. face à do mês anterior(1,5% em abril).

Todas as regiões do continente registaram, em maio, decréscimos nas taxas de variação homóloga do índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação, quando comparadas com as taxas de abril, exceto a região Norte que registou uma taxa de variação de 2,9% (2,8% em abril).