O número de beneficiários do abono de família manteve-se praticamente igual em março, situando-se nos 1.151.327, segundo os últimos dados do Instituto da Segurança Social (ISS).

Os dados da Segurança Social, atualizados a 24 de abril, referem que 1.151.327 crianças e jovens recebiam este apoio em março, contra 1.151.458 em fevereiro (menos 131, ou seja 0,01%).

Comparativamente a março de 2013, quando existiam 1.191.284 beneficiários, houve 39.957 beneficiários que perderam o direito a esta prestação social (3,47%).

Lisboa é o distrito do país com o maior número de abonos de família atribuídos (229.325), seguindo-se o Porto (223.214), Braga (108.642) e Setúbal (88.084).

Do lado oposto, o centro distrital de segurança social de Bragança é onde há menos beneficiários (11.827), seguido de Portalegre (12.170) e da Guarda (14.227).

O montante do abono família varia de acordo com a idade da criança ou jovem e com o nível de rendimentos de referência do respetivo agregado familiar.

O valor apurado insere-se em escalões de rendimentos estabelecidos com base no Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

Os dados do ISS indicam também que, em março, 165 beneficiários do subsídio por educação especial, destinado a crianças e jovens com deficiência com idade inferior a 24 anos, perderam esta prestação social, relativamente a fevereiro.

Em março, beneficiavam deste apoio 3.761 crianças e jovens, contra 3.926 em fevereiro.

Esta quebra acentua-se face a março de 2013, mês em que 5.487 jovens recebiam este apoio, mais 1.726 do que no passado mês de março.