O Jornal de Negócios decidiu enviar cinco jornalistas a balcões dos cinco maiores bancos da área da grande Lisboa, com o objetivo de subscrever ações na OPV dos CTT. As conclusões são claras: a maioria dos balcões visitados revelou desconhecimento sobe as características da operação, sendo que alguns prestaram mesmo informações erradas, como um desconto no preço da OPV, numa primeira fase.

Os factos: cada pequeno investidor só pode subscrever 25 mil ações dos CTT, sendo que para os trabalhadores esse limite baixa para as cinco mil. A subscrição pode ser feita até 2 de dezembro e as ações serão vendidas no intervalo entre os 4,10 e os 5,52 euros.

As visitas foram realizadas a balcões da Caixa Geral de Depósitos, Millenium BCP, BES, BPI e Santander Totta.