Os atrasos no reembolso de IRS começaram a sentir-se na primeira fase e devem prolongar-se pela segunda. O alerta é do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos. O sindicalista Paulo Ralha explica à «Renascença» que há dificuldades na ligação à identificação dos contribuintes, o que impede os reembolsos por transferência bancária.

«Relativamente à primeira fase do IRS mantém-se o (problema) e não há solução. Há 29 mil ficheiros que foram além do que o sistema permitia tratar e neste momento foram emitidos cheques. A situação ficou resolvida nesses moldes», salienta o responsável.

Em declarações à «Renascença», Paulo Ralha adianta que, no que toca à segunda fase de entrega do IRS, «tudo depende do número de contribuintes que pedirem o reembolso por NIB e a capacidade do sistema para poder assimilar a informação».

O dirigente considera, ainda em declarações à «Renascença», haver «boas razões para crer que o problema se repita», uma vez que os problemas «são constantes ao nível do sistema ¿ há dias inteiros em que os colegas não conseguem pura e simplesmente trabalhar, porque o sistema não está a funcionar».