O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, afirmou esta quinta-feira que o prazo para a regularização das dívidas fiscais termina na sexta-feira, apesar da greve dos trabalhadores dos impostos.

Encerramento generalizado nos serviços de finanças e alfândegas



Os trabalhadores dos impostos iniciaram uma greve de três dias contra as medidas do Governo, um dia antes de terminar o prazo para a regularização de dívidas fiscais.

Instado a comentar a greve, Paulo Núncio disse que «o Governo, quando criou o sistema de regularização, teve o cuidado particular de criar um sistema muito simples e muito fácil de acesso por parte dos contribuintes que querem regularizar a sua situação fiscal».

O sistema criado permite aos contribuintes regularizar a sua situação fiscal através do portal das Finanças e fazer o pagamento por multibanco, sem terem a necessidade de se dirigirem às repartições, explicou o secretário de Estado, que falava na conferência após a reunião do Conselho de Ministros.

Apesar da greve que está a decorrer, «todos os contribuintes podem continuar a fazer [o pagamento] de uma forma perfeitamente normal», disse o governante, sublinhando que o «prazo termina amanhã [sexta-feira], dia 20».

Esta é a «derradeira oportunidade para os contribuintes com dívidas fiscais e à Segurança Social», concluiu.

Os trabalhadores dos impostos estão em greve em protesto contra o encerramento de serviços, mas também por questões relacionadas com os vínculos e a progressão na carreira.